Os 232 anos perdidos do calendário judaico.


Parte I

Vamos debater o erro do calendário judaico a partir de agora e falarmos do milênio.

A nossa civilização ocidental usa um calendário que começa a partir do primeiro Advento de Jesus Cristo. Para nós, é o ano 2008 d.C. O termo d.C. é um anacrônimo para Anno Domini, no latim. Isto é, cerca de 2008 d.C anos atrás, Jesus nasceu em Belém.


Em 1658, o bispo James Ussher definiu a data do nascimento de Cristo em 4 aC, alegando que o nosso calendário tinha um erro de quatro anos.

De acordo com Ussher, Adão foi criado na sexta-feira, seis dias após a lua nova Setembro / outubro de 4004 a.C., dado que acrescentou a importância do nascimento de Cristo sendo exatamente 4.000 anos após Adão. Hoje em 2008 d.C., entre os cristãos muitos acreditam que Adão foi criado cerca de 6012 anos atrás e que Jesus nasceu cerca de 2012 anos atrás.

No entanto, diz que o calendário judaico que este ano é 5768 da Era Comum. O termo Era Comum é um anacrônimo para Anno Mundi, no latim “a partir da criação do mundo.” – alegando que Adão foi criado apenas 5768 anos atrás. Ao comparar o calendário judaico com o nosso calendário, somos confrontados com o desaparecimento de 232 anos.

Qual seria o calendário mais preciso?

Certamente não é o calendário judaico. Veja aqui o por que de acordo com algumas fontes judaicas, o Mashiach vai chegar para chegar no encerramento dos 6.000 anos, e estabelecer o tão esperado reino “messiânico ” que deve durar um grande (*)sábado ou traduzindo para o português a palavra grega para descanso.

(*) Não confundir aqui com o dia de sábado semanal e entende-se este grande sábado de descanso que equivale a 1.000 anos de descanso, após os seis mil anos de trabalho de D’us após a criação de Adão (ver João 5:16, a 47), ou o sétimo milênio.

…16 E por esta causa os judeus perseguiram a Jesus, e procuravam matá-lo, porque fazia estas coisas no sábado. 17 E Jesus lhes respondeu: Meu Pai trabalha até agora, e eu trabalho também.18 Por isso, pois, os judeus ainda mais procuravam matá-lo, porque não só quebrantava o sábado, mas também dizia que D’us era seu próprio Pai, fazendo-se igual a D’us.19 Mas Jesus respondeu, e disse-lhes: Na verdade, na verdade vos digo que o Filho por si mesmo não pode fazer coisa alguma, se o não vir fazer o Pai; porque tudo quanto Ele faz, o Filho o faz igualmente….20 Porque o Pai ama o Filho, e mostra-lhe tudo o que faz; e ele lhe mostrará maiores obras do que estas, para que vos maravilheis.21 Pois, assim como o Pai ressuscita os mortos, e os vivifica, assim também o Filho vivifica aqueles que quer.

(Ver Daniel 7:13,14 – Jeremias 23:5,6,7 e 8 – Isaías 9:6 e 7)

22 E também o Pai a ninguém julga, mas deu ao Filho todo o juízo;

23 Para que todos honrem o Filho, como honram o Pai. Quem não honra o Filho, não honra o Pai que o enviou. 24 Na verdade, na verdade vos digo que quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna, e não entrará em condenação, mas passou da morte para a vida.25 Em verdade, em verdade vos digo que vem a hora, e agora é, em que os mortos ouvirão a voz do Filho de D’us, e os que a ouvirem viverão.26 Porque, como o Pai tem a vida em si mesmo, assim deu também ao Filho ter a vida em si mesmo;27 E deu-lhe o poder de exercer o juízo, porque é o Filho do homem.

28 Não vos maravilheis disto; porque vem a hora em que todos os que estão nos sepulcros ouvirão a sua voz.29 E os que fizeram o bem sairão para a ressurreição da vida; e os que fizeram o mal para a ressurreição da condenação. 30 Eu não posso de mim mesmo fazer coisa alguma. Como ouço, assim julgo; e o meu juízo é justo, porque não busco a minha vontade, mas a vontade do Pai que me enviou.31 Se eu testifico de mim mesmo, o meu testemunho não é verdadeiro.32 Há outro que testifica de mim, e sei que o testemunho que ele dá de mim é verdadeiro.33 Vós mandastes mensageiros a João, e ele deu testemunho da verdade.34 Eu, porém, não recebo testemunho de homem; mas digo isto, para que vos salveis. 35 Ele era a candeia que ardia e alumiava, e vós quisestes alegrar-vos por um pouco de tempo com a sua luz.36 Mas eu tenho maior testemunho do que o de João; porque as obras que o Pai me deu para realizar, as mesmas obras que eu faço, testificam de mim, que o Pai me enviou.37 E o Pai, que me enviou, ele mesmo testificou de mim. Vós nunca ouvistes a sua voz, nem vistes o seu parecer.38 E a sua palavra não permanece em vós, porque naquele que ele enviou não credes vós.

39 Examinais as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de mim testificam;40 E não quereis vir a mim para terdes vida.41 Eu não recebo glória dos homens;42 Mas bem vos conheço, que não tendes em vós o amor de D’us.43 Eu vim em nome de meu Pai, e não me aceitais; se outro vier em seu próprio nome, a esse aceitareis.

44 Como podeis vós crer, recebendo honra uns dos outros, e não buscando a honra que vem só de D’us?45 Não cuideis que eu vos hei de acusar para com o Pai. Há um que vos acusa, Moisés, em quem vós esperais.46 Porque, se vós crêsseis em Moisés, creríeis em mim; porque de mim escreveu ele.47 Mas, se não credes nos seus escritos, como crereis nas minhas palavras?


Hebreus 4:1,2,3 4,5,6,7,8,9


1 TEMAMOS, pois, que, porventura, deixada a promessa de entrar no seu repouso, pareça que algum de vós fica para trás. 2 Porque também a nós [apóstolos] foram pregadas as boas novas, como a eles, mas a palavra da pregação nada lhes aproveitou, porquanto não estava misturada com a fé naqueles que a ouviram.3 Porque nós, os que temos crido, entramos no repouso, tal como disse: Assim jurei na minha ira Que não entrarão no meu repouso; embora as suas obras estivessem acabadas desde a fundação do mundo.4 Porque em certo lugar disse assim do dia sétimo: E repousou D’us de todas as suas obras no sétimo dia. 5 E outra vez neste lugar: Não entrarão no meu repouso. 6 Visto, pois, que resta que alguns entrem nele, e que aqueles a quem primeiro foram pregadas as boas novas não entraram por causa da desobediência, 7 Determina outra vez um certo dia, Hoje, dizendo por Davi, muito tempo depois, como está dito: Hoje, se ouvirdes a sua voz, Não endureçais os vossos corações.8 Porque, se Josué [Yehoshua] lhes houvesse dado repouso, não falaria depois disso de outro dia. 9 Portanto, resta ainda um repouso para o povo de D’us. 10 Porque aquele que entrou no seu repouso, ele próprio repousou de suas obras, como D’us das suas. 11 Procuremos, pois, entrar naquele repouso, para que ninguém caia no mesmo exemplo de desobediência.


Se o Messias demorar mais 232 anos de acordo com o calendário judaico, a maioria da raça humana obviamente não existiria mais. Em outubro de 2000, a população humana chegou a seis mil milhões indivíduos, depois de que em 1960 ter chegado e ultrapassando de três mil milhões.

A população duplica a cada quarenta anos. A duplicação anterior levou 80 anos; e antes disso, esta levou 200 anos para que a população mundial se duplicasse. Em outras palavras, o crescimento da população mundial chegou a “curva exponencial.” No entanto, mesmo que as Nações Unidas seja bem sucedida em manter a atual taxa de crescimento da população estável ao longo de mais quarenta anos, a população mundial deve chegar em 400 bilhões de pessoas no planeta em mais 232 anos!

Obviamente isto é muita gente. Não vai ter muito ar limpo para todos, não vai ter muita água para beber e muito menos alimentos para manter esta quantidade de gente faminta no planeta! Então o calendário judaico não é possível que esteja correto.




http://www.amazon.com/Chronology-Testament-Floyd-Nolen-Jones/dp/089051416X

Na década de 1990, muitos cartazes surgiram em Israel, declarando que o messias estava vindo. Em janeiro de 1994, os judeus Lubavitcher declararam, que o seu idoso líder, Menachem Schneerson, seria o messias. Infelizmente no verão ele morreu.

Rabino Yitzhak Kadouri, líder místico em Israel, declarou antes de morrer recentemente que o messias estava para chegar, no mais tardar em 13 de setembro 2007.

Se o calendário judaico está correto, porque então que os judeus estão procurando pelo seu messias justamente agora? Já cerca de 700 anos atrás, os judeus místicos, escreveram que o messias viria ao mudo na virada do milênio.

Quando o sexagésimo ano cruzar o limiar antes do sexto milênio, o D’us do céu irá visitar os filhos de Jacó.…Preliminarmente com uma lembrança. No ano sessenta e seis, o Mashiach será revelado na a terra da Galiléia “(Zohar, vol. 1, p. 370). Obviamente, o o sexagésimo ano era o ano 5760, e o “limiar do sexto milênio” foi o nosso ano 2000/2001. A aparição do messias no “anos sessenta e seis” forneceu a base para a recente previsão do Rabino Kaduri já falecido.

Poucos meses antes de Kaduri falecer em janeiro de 2006, com a idade de 108 anos, ele surpreendeu seus seguidores, quando lhes disse que se encontrou com o Messias.

Kaduri enviou uma mensagem para a sua sinagoga no Yom Kippur, o Dia do Perdão, ensinando como reconhecer o Messias. Ele também mencionou que o Messias apareceria para Israel após a morte de Ariel Sharon. Outros rabinos predizem o mesmo, incluindo o Rabino Haim Cohen, o cabalista Nir Ben Artzi e a mulher do Rabino Haim Kneiveskzy.




Os judeus sempre sabiam que sua agenda estava errada. Embora os rabinos irão defender a autenticidade da sua agenda, baseada no Seder Olam Amã, eles sabem que as suas datas estão erradas. Além disso, muitos deles sabem o por quê.

O que aconteceu com os 232 anos?

Floyd N. Jones, em seu livro, A Cronologia do Antigo Testamento, relatou que os primeiros historiadores judeus datou o ano de 312 a.C, como o tempo do estabelecimento da dinastia Seleucida. Seleuco foi um dos quatro generais que dividiu Império do grego após a morte de Alexandre o Grande. De acordo com a cronologia de James Ussher’s, em 312 aC, Seleuco recuperou o seu reino de Antígono. No entanto, afirmam as fontes judaicas que a data de 321 a.C, remonta a uma promessa feita a Alexandre o Grande. Eles chamaram de Minyan Shtarot.

De acordo com a cronologia judaica, Alexandre havia ordenado que a sua estátua fosse colocado no templo em Jesusalem. Simon, o sumo sacerdote, explicou de como seria desagradável para o sentimento judaico e sugeriu que os judeus poderiam melhor conferir uma maior homenagem para honrar “Alexandre”, nomeando todos os recém-nascidos do sexo masculino para o sacerdócio neste ano.

Eles também poderiam aceitar o ano (da conquista de seu império) como o primeiro ano de contagem de todos os documentos legais. Sustaram isto e ao invés disto o Minyan Shtarot, foi iniciado no dia primeiro de Tishri, 312 AC, e ainda estava em uso durante até 1,500 anos mais tarde.

http://en.wikipedia.org/wiki/Missing_years_(Hebrew_calendar)

Calendário judaico Aprovado em 1517.

De acordo com a Time Line Enciclopédia Judaica,por Mattis Kantor: “Quando os turcos conquistaram Egito, em 1517, e o sistema de comunidades judaicas estruturou mudanças, Rabino David ibn Zimra, se tornou o líder dos judeus egípcios formalmente encerrou a Minian Shtarot (p.185).

A partir desse momento, os judeus começaram a utilizar a sua moderno calendário dos seus anos a partir da criação, tal como consta no Seder Olam.

Até 1517, os judeus dataram seus eventos históricos a partir de 312 a.C. Mas, foi no ano que Alexandre estabeleceu a “conquista do império?” É evidente que não. Alexandre conquistou o império Persa em 331a.C., e morreu em 323a.C. Então, porque dizer que o império grego foi estabelecido no ano de 312a.C.

Para a resposta, temos de começar na Babilônia no ano de 315a.C. , com uma contenda entre Antígono Seleuco. Antígono queria um relatório de todos os tesouros acumulados. Seleuco, temendo que Antígono queria tomar seu reinado, fugiu para o Egito, onde ele pediu a Ptolomeu para ajudá-lo se livrar dele e então assumisem o reino. Ao longo dos próximos anos, as forças combinadas de Ptolomeu, Seleuco, Cassander e Lisímaco forçaram contra Antígono e seu filho, Demetrius. Em 312a.C., Antígono

Antígono esteve na Babilônia e Pérsia e retornou a suas tropas para a Phrygia. Relativamente a 312 a.C., James Ussher escreveu: “tinha Seleuco conquistado este poderoso exército … e facilmente subjugou as províncias dos Medos, Susa e fronteira com outros países …A história dos Macabeus “conta que o império grego começou neste período”.Sem dúvida isto foi a partir de setembro ou outubro do ano 312a.C. O escritor de livros de Macabeus …

O escritor de livros de Macabeus …calculou que o ano grego começou nesta altura … ” (Anais, p.329).O primeiro livro de macabeus (1:10) as datas de eventos 175a.C.., como sendo “137 anos após o início do Gregos “(312a.C.).

Esse foi o ano Antíoco Epiphanes tinha sido morto através da traição de Heliodorus. Mas Eumenes e Attalus expulsou Heliodorus que tinha destinado a assumir o reino da Síria. Eles deram a Antíoco reino que justamente foi para Demetrius, filho de Seleuco de dez anos de idade, que estava a ser refém em Roma. Esse ano Antíoco Epífanes formou uma liga com determinados políticos em Jerusalém.

Isso acabaria por levar à profanação do Templo em 168 aC, e a revolta macabeia que se seguiu. O segundo livro de Macabeus contém ainda mais eventos que refletem o “Minyan Shtarot” (o calendário que se firmou no ano de 312a.C.). Nenhuma data da história judaica oficial foi registrado antes de 1517 D.C. (à excepção do Seder Olam), que datou os eventos a partir da Criação.

O Seder Olam Amã


A base para o calendário judaico moderno reside no Seder Olam Amã (ou o “Livro da Ordem do Mundo”), que foi compilado em meados do segundo século, por Yose ben Halafta (morreu em 160 D.C.). Halafta era um estudante do famoso rabino Akiva ben Joseph (o pai da Mishnah). Durante a revolta de Bar Kokhbah contra os romanos (132-135 DC), os 90 anos de idade Akiva deu a sua bênção para a proclamação da revolução Bar Kokhbah que foi a “estrela de Jacó” (Números 24:17) – Israel é há muito esperava o Messias! Bar Kokhbah foi morto em 135D.C e da revolta foi esmagada. O general Romano Adriano, cercou a cidade de Jerusalém com grande furor e ergueu uma Estátua de Zeus em Monte do Templo e mudaram o nome de Jerusalém a Aelia Capitolina, de modo que o nome de Jerusalém pudesse ser perdido na história. Ele cercou a maior parte da população judaica e vendeu-os como escravos nos mercados do mundo. Ao longo dos próximos vinte anos, e Yose ben Halafta compilou os seus colegas o Seder Olam Amã para um objectivo primário – fazer com que as setenta semanas de Daniel’s apontassem para Bar Kokhbah como o Messias judeu.

Alguns dos seus cálculos foram provavelmente simples erros. Se Perdeu 60 anos da geração de Abraão; 5 anos a partir do pacto com Abraão para o Êxodo; e 17 anos a partir da fundação do primeiro templo para a consagração do segundo templo – tornando assim uma perda de 82 anos devido a um cálculo mal feito.



Continua – Clique aqui para ler a Parte II ……..

……………

This entry was posted in Uncategorized. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s